Buscar
  • TXT BRAZIL

Tendências musicais para a Geração Z do TOMORROW X TOGETHER [WEVERSE MAGAZINE]

A geração Z é realmente diferente!

Da Geração X, à Geração Y/Milênio, à Geração Z, os gostos musicais de gerações podem parecer que se repetem há mais de 20 anos. A ideia de que as pessoas de uma geração ouvem mais música do que as do passado, seguem seus próprios gostos mais do que tendências e se concentram menos em álbuns para ter uma abordagem mais orientada para a música se repete a cada geração, mas se tornou mais pronunciada ao longo do tempo. Às vezes, as tendências podem parecer vazias, mas há algo novo que separa a Geração Z das outras. O uso mobile e a personalização que vieram com a revolução da tecnologia da informação, e o aumento da popularidade do streaming em particular, tornaram tudo o que antes parecia provável em realidade hoje. Os hábitos de consumo de música da Geração Z são uma característica mensurável compartilhada por toda a geração em uma escala global. Sempre que a Geração Z expressa seus sentimentos e os compartilha por meio da música, busca músicas mais diversas e desfrute de suas descobertas, ou perceba que as pessoas com quem compartilham gostos também podem compartilhar suas inclinações políticas, tudo isso acontece em escala global através das mídias sociais. Comunidades formadas em torno de interesses compartilhados não são mais grupos fechados. O K-pop é um exemplo perfeito. De acordo com o Spotify, o número de vezes que as músicas K-pop são transmitidas no serviço aumentou mais de 18 vezes de 2014 a 2020. Nesse período, o K-pop deixou de ter uma lista de gênero distinta no serviço para se tornar o música estrangeira em língua não inglesa mais proeminente nos Estados Unidos. Aqui, a sequência de eventos - se as muitas estratégias do K-pop para o sucesso foram feitas para superar as limitações vistas como impostas pela linguagem ou a chave para esse sucesso - não é compreendida. Nacionalidade e idioma nunca foram um problema em primeiro lugar; em vez disso, devemos dar uma olhada em quem já está preparado para a era das mídias sociais e streaming. Uma distinção começou a surgir entre alguns dos chamados "Idols da 4ª geração", incluindo TOMORROW X TOGETHER, e a coorte anterior à Geração Z, por serem seus criadores e produtores proprietários, não simplesmente aguardando a atenção dos ouvintes. Para lidar com o tema do crescimento dos meninos, TOMORROW X TOGETHER cita a alternativa e o emo como inspiração musical, enquanto usa programas de TV e filmes com temas semelhantes como pontos de referência para seus MVs. Tudo isso é possível graças à maneira como eles exploram pessoalmente os gostos de gerações anteriores e de outros países de mente aberta por meio do Spotify e porque podem acessar uma variedade de conteúdo ao mesmo tempo que o resto do mundo por meio da Netflix, ao contrário de eras anteriores. No passado, o K-pop tinha duas maneiras de entrar nos mercados internacionais: seguindo gostos locais e canais promocionais, ou se tornando memes. Essa abordagem, no entanto, não é mais eficaz para artistas da Geração Z em todo o mundo, K-pop ou outros. Os serviços de streaming adicionam combustível para gostos que transcendem geração e nacionalidade. Você não precisa se perguntar como era a música do passado - você pode apenas ouvi-la. Mesmo que Billie Eilish e Finneas O’Connell trouxessem de repente as baladas poderosas da década de 1990 para sua própria variedade de pop de quarto, sua geração não entraria em pânico. Também não é absurdo chamar o álbum de debut de Arlo Parks de uma coleção de pop lo-fi que abrange décadas de gostos. O som indie pop de Wallis parece basear-se em um estilo não visto desde os anos 2000, mas os cenários e visuais remetem aos anos 1960. Que tal mudar as coisas geograficamente? Você já ouviu falar do quão extraordinário é o indie rock mexicano? Procure Distrito Indie no Spotify. Quem disse que você deve ignorar a cena urbana do Brasil só porque está em português? Não perca. Você pode ouvir isso na playlist chamada creme no Spotify. Quando Oslo Ibrahim, da Indonésia, lança seu novo single pop urbano, "Baby Don't Let Me Go", ele inunda os feeds das redes sociais. Que tipo de novo mundo os algoritmos de recomendação do Spotify e do YouTube abrirão para as pessoas que gostaram dessa música? E por que músicos se tornam ícones do estilo, não atores ou outras celebridades? É porque eles são os primeiros a se libertar de gênero, geração e geografia.



 

Fonte: WEVERSE MAGAZINE

Artigo: Seongdeok Seo(Music Critic)

TRAD ENG-PTBR: TXT BR

13 visualizações0 comentário