Buscar
  • TXT BRAZIL

ENTREVISTA: Soobin para PAPER Magazine (ago/21)

"Não há nada segurando Soobin."



É difícil de imaginar que houve uma vez que Choi Soobin se sentiu tímido. Ainda assim, com um metro e oitenta e cinco e covinhas arrojadas, o líder do TOMORROW X TOGETHER não possui nada além de um profundo carinho por seu eu mais jovem — que, em 2019, ficou trêmulo no centro da tempestade do K-pop que iria eventualmente se tornar a sua vida. Ele sabe que era uma ansiosa bagunça no começo de sua carreira de ídolo, mas ele era uma bagunça carinhosamente ansiosa.


Que diferença que alguns anos nos holofotes fazem.


Os fãs podem ter notado a diferença no performer de 20 anos quando o TOMORROW X TOGETHER (conhecido como TXT) começou a promover seu álbum The Chaos Chapter: FREEZE em maio. Ele parecia mais confiante e franco, ansioso para falar o que pensa e se divertir mais. Havia um tipo diferente de fogo em seus olhos, queimando com malícia e alegria. É porque Soobin, como muitos de nós, passou o último ano descobrindo coisas sobre si mesmo.


"Eu mudei muito desde a [minha] estreia e também estou tentando muito mudar também," ele conta para a PAPER de um quarto iluminado em Seoul. Ele está usando uma jaqueta de couro, a escolha ideal para um rapaz jovem que está experimentando seu primeiro gostinho de rebelião.


Não é que ele não tenha amado quem ele era antes, mas que ele viu uma oportunidade de crescimento. "No começo, eu era muito introvertido," ele explica, com sua voz calma e sua fala lenta e medida. A coisa que você precisa saber sobre Soobin e que ele não tem pressa. "Não conseguia mesmo dizer as coisas que eu gostaria de dizer," ele acrescenta. "Agora, eu não consigo mais me segurar. Se há algo que precisa ser dito, então eu digo."



Ele credita essa nova descoberta assertividade aos seus companheiros de banda Yeonjun, Beomgyu, Taehyun e Hueningkai, que o ajudam estando presentes e atentos. Em troca, ele oferece segurança. Parte dos seus deveres na liderança dentro do grupo envolve fornecer feedbacks diretos e honestos, e suportar o peso da responsabilidade que vem com ela. Com muito medo de ferir os sentimentos uns dos outros, os membros do TXT costumavam realizar reuniões do grupo regularmente em seu apartamento compartilhado para discutir suas preocupações e pensamentos; agora, Soobin diz, ele os encoraja a falar o que pensam livremente sempre que quiserem. Por que esperar pra dizer o que está na sua cabeça?


"Nosso relacionamento evoluiu," ele diz. "Eu costumava pensar que éramos como uma família que não conseguia se aproximar, mas a cada mês nos tornamos mais próximos. Eu consigo ler suas expressões muito bem. Eu olho para eles, e consigo prever o que irão dizer e como irão agir. Nós tornamos mais família do que uma família."


Existem, é claro, algumas coisas que nunca mudam. Ele ainda falar com ternura sobre fotos de guaxinins e ouriços (ele está criando seu próprio ouriço de estimação, chamado Odi, em seu quarto no dormitório). Ele se entrega em cozinhar, de biscoitos, à madalenas e pão (seu favorito). Ele prefere hobbies táteis, como cozinhar, mixologia, cuidar de plantas, tirar fotos polaroid e editar vídeos. E ele é um grande fã dos anos de formação da indústria do K-pop — um descarado fã da segunda geração, se quiser saber. Um vídeo de Soobin cantando 'Nilili Mambo' do Block B se tornou viral no Tik Tok e no Twitter, alcançando instantaneamente o status de meme entre os fãs e locais.


"Agora, eu não consigo mais me segurar. Se há alguma coisa que precisa ser dita, então eu digo."

De fato, foi o carisma do Block B, INFINITE, 2PM, Miss A e seus futuros colegas de empresa BTS que inspiraram seu sonho de se tornar um ídolo. "[Enquanto estava] crescendo, eu gostava muito de K-pop," ele diz. "Eu assistia todos os programas musicais, e sempre sentia como se estivesse assistindo a algo incrível." (Um verdadeiro momento de círculo completo, Soobin é agora o MC do Music Bank, um programa musical semanal ao vivo). Ele se sentia tocado por eles. Além das performances dinâmicas e a ética de trabalho incomparável, o que mais atraiu Soobin a ser um ídolo foi a chance de dar "força" àqueles que necessitam. "[Ele] parecia ser um ótimo trabalho."


Então ele resolveu solucionar o problema com as próprias mãos e enviou uma fita de audição por e-mail para a Big Hit Music quando estava no nono ano. Seus pais inicialmente se opuseram a ideia dele seguir a carreira de um ídolo. O mais novo de três irmãos, Soobin estava acostumado a ser mimado. Contudo, as preocupações de sua mãe não eram infundadas. O sistema de treinamento para ídolos para audições e criar estrelas é notoriamente difícil e hiper competitivo, e as chances de estrear em uma equipe da companhia são tão baixas que são subterrâneas. "Eles queriam que eu estudasse," Soobin recorda. "Eles não queriam que eu fosse um trainee, mas eles vieram o quanto eu queria isso e o quanto estava tentando." Após ele passar na segunda fase das audições, sua mãe permitiu que ele colocasse seus estudos em espera para seguir seu sonho.



Eles não puderam prever o sucesso que se seguiria: estreando no topo das paradas do iTunes em 44 países; arrebatando os prêmios de artista novato da indústria; um showcase esgotado nos Estados Unidos (na época em que fazer turnês era uma coisa); e mais recentemente, reverenciando o 5º lugar na Billboard 200 com The Chaos Chapter: FREEZE. Sua versão repackage, The Chaos Chapter: FIGHT OR ESCAPE, lançada na última semana, vendeu quase 500.000 cópias, elevando as vendas acumuladas do TXT de 2021 a mais de 1 milhão.


Para ser honesto, Soobin ainda está se acostumando a isso. "Ainda esta manhã, meus pais disseram o quanto estavam orgulhoso de mim," ele sorri.


Pelo que vale a pena, ele também está orgulho de si mesmo. Ele está creditado como compositor em duas músicas no FIGHT OR ESCAPE: 'Ice Cream,' uma música funky pop inspirada por "pequenas alegrias que vem de pensamentos malvados," e 'MOA Diary (Dubbadu Wari Wari)', escrita para seus fãs. Para Soobin, o processo criativo é solitário. Ele prefere dessa forma. "Quando os outros membros escrevem suas letras eles mostram pra todo mundo e recebem um feedback," ele explica. "Eu, na verdade, não faço isso. Eu coloco muitas emoções nas minhas letras. Talvez eu seja um pouco honesto demais." Essa vulnerabilidade, ele diz, é sua força como letrista.


Quer ele veja ou não, essa apertura o guiou o tempo todo, desde sua infância que ele passou hipnotizado pelos ídolos dançando na tela aos anos de treinamento que suportou para ter a chance de viver seu sonho. Agora, ele está pronto para controlar totalmente essas emoções.


"Eu sempre sentia como se estivesse segurando," ele diz. "Eu era um pouco tímido. Então, nós estreamos, e pela primeira vez me senti como se tivesse feito algo que era realmente significativo."




 



Entrevista original: Crystal Bell (PAPER Magazine)

TRAD ENG-PT/BR: Abby (TXT Brazil)

Tags:

101 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo