Buscar
  • TXT BRAZIL

ENTREVISTA: Hueningkai para "Weverse Magazine" (nov/20)

Atualizado: 6 de Nov de 2020

"Me deixar contar um pouco mais sobre mim."

Hueningkai entrou de forma divertida para a entrevista na sala de espera. Ele foi direto para as latas de reciclagem. Depois de separar papel, plástico e latas do lixo e colocá-los em suas latas corretas, ele deu um largo sorriso antes de retornar ao seu assento para a entrevista. Ele parece novo/puro e maduro ao mesmo tempo.



Parece que você ficou mais alto, comparado aos seus vídeos anteriores.

HK: Eu cresci 20cm depois de me tornar um trainee e depois mais 3cm quando nós estreamos oficialmente. Pude realmente sentir a mudança quando eu precisei trocar minhas roupas. Acho que tive um jato de crescimento depois de "Run Away." É a diferença de apenas um álbum, mas conversamos muito sobre como era nossa equipe naquela época. Acho que foi uma verdadeira virada na minha vida, que eu fiquei mais maduro.


Acho que o "minisode1: Blue Hour" mostrou mais do seu lado maduro comparado com a série "Dream Chapter". Ouvi dizer que você tentou entregar algumas emoções complexas aqui.

HK: Eu tentei compreender as letras tanto quanto eu pude. Também estudei expressões faciais, pois achei particularmente importante. É diferente da nossa música de estreia. Não posso apenas sorrir; preciso sorrir pouco/despretensiosamente e parecer um pouco distante. Eu também pensei, 'Não seremos mais estudantes depois deste álbum!'. Todos nós estamos chegando em nossos 20 anos agora. Honestamente, ainda sinto como se eu estivesse em algum lugar entre um adolescente e um adulto, mas é incrível já quase ser um adulto. Eu não sei o que vai acontecer quando eu fizer 20 no próximo ano, mas eu já estou curioso com as novas experiências que eu terei.


Você disse que sua música favorita deste álbum é "Blue Hour."

HK: Eu gosto da melodia, e a letra realmente fala comigo. Assistir ao pôr do sol com os amigos e olhar para o céu durante a "hora entre o cachorro e o lobo" soa tão emocional. Eu já amava a música apenas por escutá-la, mas adicionada à dança e então ela me pegou totalmente. Eu tive que lutar com os movimentos um pouco no começo porque tinha que seguir o ritmo naturalmente, ao invés de seguir a dança coreografada como antes. Eu engordei um pouco, então pareço mais forte, mas também um pouco mais lento. Acho que entrei melhor no ritmo quando me soltei e comecei a curtir o ritmo com os outros membros.


Você provavelmente pode imaginar o público gritando quando você canta "cuz of imagination" e estende a mão.

HK: Eu tentei realmente incorporar esse clímax emocionante durante a parte que faria todos quererem levantar e dançar. A música para por um segundo e começa de novo de repente, e seria ótimo se eu puder ouvir a plateia torcendo. Quando me sinto para baixo, eu sempre penso nas torcidas ou procuro vídeos de nossas performances anteriores onde você pode ouvir todo mundo torcendo por nós.


Eu ouvi que você ajudou a escrever a letra de "Wishlist," uma música sobre tentar encontrar o presente de aniversário perfeito para seu alguém especial. Eu acho que isso também reflete na forma como um artista prepara seu coração para uma performance.

HK: É por isso que eu achei tão fácil me identificar com aquele sentimento. Você geralmente não sabe o que a outra pessoa quer, então eu imaginei aquele tipo de nervosismo e animação intensa que você e usei isso como uma inspiração para escrever. Eu estava tão curioso com que tipo de reação este álbum teria. A resposta ao teaser foi realmente ótima, e eu fiquei curioso se as pessoas iriam gostar do vídeo clipe também. Eu já vi o vídeo e saiu de forma belíssima. Eu me sinto bem confiante (risos). É muito triste que não possamos ver nosso MOA de verdade, entretanto. Durante a última atividade, ficamos sem fôlego gravando o vídeo, mas com ninguém lá para ver a performance o palco parecia desconfortavelmente silencioso e frio. Foi quando eu percebi que não podemos deixar isso se tornar o normal. Nós nunca vamos querer parecer cansados na frente do MOA.


"We Lost the Summer" fala sobre como nós perdemos nossa rotina diária para a COVID-19. Teve alguma mudança em sua rotina diária?

HK: Eu senti a mudança no palco, não muito na vida diária. Eu costumava amar ficar em casa, mas agora sinto a minha vida se tornando repetitiva porque estou sempre em casa. Parece que o tempo parou. É por isso que eu comecei a tocar piano de novo. Eu estive praticando a música "Flower Dance," já que é popular e fácil de tocar. Já fazia um tempo desde que eu toquei alguma coisa então estou acostumando minhas mãos com a sensação das teclas novamente.


Você disse antes que gosta do filme August Rush* [*O Som do Coração no Brasil].

HK: Eu amo filmes musicais num geral, mas eu acho que a cena da preparação em August Rush é a melhor. A forma como a criança se levanta na frente das pessoas e apenas toca o que quer que venha a sua mente em seu violão é tão legal. Eu amei como o filme mostrou a ele um jeito das pessoas escutarem sua música.


Parece que a música tem um papel realmente importante em sua vida.

HK: A música sempre tem sido uma grande parte da minha vida. Eu me lembro de como minha irmã mais velha, minha irmã mais nova e eu subíamos no palco juntos e fazíamos apresentações de dança. Essas experiências que me deixaram tão próximo da música. Eu realmente quero que as pessoas escutem minha mensagem, e dar a eles esperança tocando boa música para eles. Eu quero ser um músico que fala o que pensa.


Que música mais te impressionou nesses dias?

HK: Eu amo as músicas "Irony" e "Bad" do Christopher. Eu tenho escutado essas músicas bastante. Eu as encontrei quando era trainee, e depois encontrei-as novamente depois da nossa estreia. As versões ao vivo são especialmente boas, então eu continuo assistindo aos vídeos.


Ouvi que você fez uma banda com amigos no ensino fundamental?

HK: Eu realmente queria estar em uma banda no ensino fundamental mas nossa escola não tinha nenhuma. Eu estaria bem cantando ou tocando algum instrumento. Felizmente eu conheci amigos que podiam tocar instrumentos, então eu me tornei o vocalista já que eu podia cantar. Nós fomos aos professores, tocamos na frente deles e perguntamos se podíamos começar nossa própria banda.


Como foram seus dias escolares? Você nasceu no Hawaii, morou na China, e se tornou um cantor na Coreia. Não foi difícil viver em todos esses lugares diferentes e encontrar diferentes culturas e línguas?

HK: Como meus pais vem de origens diferentes, eu me mudei para a China e então vim para a Coreia. É muito curioso como eu me tornei um ídolo na Coreia. Eu era muito tímido, porque cheguei na Coreia de repente. Na primeira série, eu estava totalmente confuso e mal conseguia falar coreano então permaneci estudando em casa até que eu estivesse na segunda série. Minha professora ficava brava comigo porque eu não conseguia falar o coreano formalmente, e eu estava tão deslocado, sem saber o que fazer. Felizmente alguns colegas de classe começaram a falar comigo. Depois que me adaptei, eu comecei a conversar e tentar fazer algumas amizades. Naquela época, eu ficava me perguntando, 'O que eu estava fazendo aqui?'. Graças a todo o amor do MOA depois da nossa estreia, eu me tornei uma pessoa mais positiva e enérgica.


Você gostaria de dizer alguma coisa para as pessoas que tem preocupações similares a que você teve no passado?

HK: Se você se sente estressado, apenas se mantenha leal a suas emoções. Sorria quando você quiser sorrir, e chore quando você quiser chorar. Então tudo vai ficar melhor. Eu também acho que é melhor conversar sobre com alguém. Se você se sente tímido, você ainda pode compartilhar seus pensamentos com eles, só faça devagar e aos poucos.


É importante ter alguém que se importa com você.

HK: Eu sou realmente sortudo, na verdade. Estes quatro anos com a minha companhia foram mais significantes do que os quinze que vivi antes de me tornar um trainee. Especialmente por causa dos outros membros. Veja o Soobin: Eu acho o Soobin muito especial para mim. Ele sempre está lá para me ajudar e me apoiar toda vez. Eu digo a ele que ele é adorável, e ele diz a mesma coisa de volta para mim. Algumas vezes ele vem espontaneamente e me dá um grande abraço. Nós somos basicamente grudados. Na escola, meu único amigo é Taehyun. Se ele parece triste, eu digo a ele, "Quer jogar um jogo?". É melhor jogar alguma coisa juntos e deixar ele falar quando estiver pronto, eu acho, do que perguntar a ele diretamente. Eu não sou bom em falar sobre as coisas diretamente.


Beomgyu deve ser especial se você o deixa brincar com seus animais de pelúcia favoritos.

HK: Eu gosto dele mesmo quando ele brinca com minhas pelúcias porque ele cuida de mim durante esse tempo (risos). Quando eu era trainee, Beomgyu e eu éramos os únicos que não haviam entrado no time avançado de coreografia. Nós sempre conversamos um com o outro e nos esforçamos para praticar e finalmente conseguimos. Quando eu fui transferido para minha atual escola, ele me ajudou muito. E Yeonjun, ele é muito ativo e enérgico, parecido comigo. Eu sou sempre tímido no começo mas então me torno social e engajável quando fico próximo de alguém. Nós dois somos ENFP segundo o teste de MBTI, também. Então as pessoas me chamam de "pequeno Yeonjun" e Yeonjun de "grande Hueningkai," mas agora deveria ser o contrário (risos). Eu deveria ser o "grande Yeonjun" e ele deveria ser o "pequeno Hueningkai."


Como se sente em ser o mais novo do time?

HK: Quando eu era trainee, eu pensava que iria ficar preso fazendo um monte de coisas porque sou o mais novo, mas na verdade, significa que posso agir de forma fofa, e os outros membros gostam desse jeito. Se eu tenho alguma preocupação com os membros do meu time, eu posso discuti-las com a equipe, como, 'Estou em tal e tal situação: o que eu deveria fazer?'. E então tenho alguns conselhos sobre conversar com os membros sobre. Quando eu faço isso, sinto que estou me tornando um pouco mais maduro.


No dia 17 de outubro, você escreveu em seu diário do Weverse que era grato a cada um dos membros quando você pensa em quando eram trainees.

HK: Eu queria muito escrever um diário sério/honesto pelo menos uma vez. Quando você observa as redes sociais, tem muitas publicações que machucam meu coração e me incomodam, então eu queria falar sobre o quão próximos e compassivos nós membros somos uns com os outros. Soobin lê todos as nossas publicações no diário do Weverse. Ele leu aquela entrada em voz alta para todos, para me provocar (risos). Eu fiquei envergonhado.


Nesta mesma entrada do diário, você expressou toda sua gratidão e amor por seus fãs. Que tipo de show você quer fazer para eles?

HK: Primeiro de tudo, eu gostaria de dizer do fundo dos meus pulmões, 'Olá, nós somos o TOMORROW X TOGETHER!'. Então, eu apresentaria cada membro. Eu diria algo como, 'Já faz um longo tempo! Mas nós estamos juntos de novo, finalmente. Já fazem alguns meses, mas agora estou de volta — aqui é o Hueningkai!'. Então eu dançaria como nunca dancei antes. E para o bis, eu quero cantar "Sweat." É uma música sobre como nós tivemos que suar no caminho para o topo e finalmente alcançamos os holofotes com a nossa estreia. Sempre que eu escuto essa música, me sinto nostálgico e algumas vezes até choro. Nós cantamos a última parte juntos. Tenho certeza que eu choraria se cantasse essa música com nosso MOA.


Você gosta de jogar jogos com os fãs, não é?

HK: Eu sempre quis fazer algo com nosso MOA antes de nossa estreia. Eu jogava jogos e me perguntava se alguns de nossos fãs jogava também, então fiz uma tentativa. Eu escondi minha identidade quando eu joguei e depois escrevi 'foi divertido' no Weverse e postei uma foto como uma surpresa. Foi divertido de ver as respostas do MOA tão fofo! O apelido que eu usei no jogo tinha relação conosco e eu agi como se fosse outro fã. Uma vez que vimos que éramos todos MOA, começamos a falar sobre nossos membros favoritos e por aí vai, o que é super fofo e divertido. Quando alguém dizia 'Eu amo esse membro!' eu dizia que gostava daquele membro também. Nós discutimos às vezes, dizendo, 'Ele é meu!'. Mesmo se eu encontrar alguns de meus fãs, eu apenas digo, 'Eu sou um fã do Hueningkai também.' (risos)


Você não apenas deixou seus fãs saberem sua identificação no jogo, mas revelou alguns detalhes pessoais algumas vezes, também.

HK: Eu quero compartilhar mais sobre mim com meus fãs: o que eu penso, o que eu gosto. É por isso que eu adiciono mais detalhes no Weverse do que no V Live. Eu gostaria de jogar algo tipo "20 Perguntas", mas vou ficar com "o que você prefere/isso ou aquilo" por agora.


Você deve estar ansioso para falar sobre sua performance no comeback. Você pode compartilhar algumas novidades para os fãs que estão esperando por você?

HK: Estou tão animado que a atual agenda inclui tantos eventos de fan signing. Mal posso esperar para ir até lá e encontrar mais MOA. Eu apenas queria dizer obrigado por esperarem tão pacientemente, e que nós vamos mostrar a vocês tudo o que temos trabalhado enquanto sentimos falta de nossos fãs por tanto tempo. Vamos cantar e dançar e vencer a COVID-19 juntos. Fighting!




Entrevista original: Weverse Magazine

TRAD ENG-PT/BR: Abby (TXT Brazil)

206 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
  • Twitter - Círculo Branco
  • YouTube - Círculo Branco
  • Instagram - White Circle
  • Tumblr - Círculo Branco

COPYRIGHT © 2020 pela Equipe TXT BR

Todos da TXT BRAZIL tem o compromisso de promover o grupo sul coreano TOMORROW BY TOGETHER no Brasil.
E trazer aos fãs todas as notícias sobre o TXT, traduções, vídeos, fotos, entrevistas, etc.
DEIXAMOS CLARO QUE NÓS NÃO POSSUÍMOS NENHUM TIPO DE CONTATO
COM O GRUPO TXT OU COM SUA GRAVADORA BIG HIT.
Todo o site e trabalho feito, é realizado de fã para fã!