Buscar
  • TXT BRAZIL

ENTREVISTA: Beomgyu para "Weverse Magazine" (nov/20)

"Cada performance precisa ser perfeita."

"Eu sei o quanto isso pode exigir fisicamente, e que eu preciso preservar minha energia," Beomgyu disse sobre suas performances, "mas uma vez que estou no palco, é difícil de controlar. Eu realmente me comprometo."


Como vai o Toto (papagaio de estimação do Beomgyu)?

BG: Toto está bem. Suponho que ele deve estar sentindo um pouco de frio com o tempo ficando mais frio/gelado.


Como você chegou a ter Toto como um animal de estimação?

BG: Acho que há uns 10 anos. Não é? (para Toto) Quantos anos você tem mesmo? (risos) Depois de implorar e implorar, meu irmão e eu fomos autorizados a trazer um filhote para casa no aniversário da minha mãe. O aniversário dela é no dia 2 de junho, então nós o nomeamos com a combinação de "June" e "Seongyi", e ficou Chunyi* [*lê-se Juni]. Toda vez que eu chegava em casa depois da escola, eu dizia "Estou em casa!" e fazia carinho nele. Ele era adorável. Mas uns dois dias depois de trazermos ele pra casa, talvez, meus pais disseram que não podíamos ficar com ele porque não tínhamos tempo para dar a ele toda a atenção. Eu fiquei tão triste que segurei Chunyi e chorei por aproximadamente oito horas. Mais tarde encontramos Toto e felizmente minha mãe podia tomar conta dele mesmo quando ela estivesse sozinha em casa. No começo eu sentia um pouco de estranheza, mas quando Toto sentava na minha mão ou no meu ombro, eu comecei a me apegar a ele.


Já faz um longo tempo agora. O Toto teve alguma influência sobre você enquanto cresciam juntos?

BG: Não, na verdade. Cada um de nós vive sua vida separadamente em sua plenitude. (risos)


Vocês estão vivendo suas próprias vidas, não é? (risos) Na versão "VR" das fotos conceituais, sua ID é Angel313.

BG: Na foto, meu trabalho é o de "curador/médico" — é de onde a parte "Anjo" vem — e meu aniversário é em 13 de Março, então eu adicionei 313 ao final. Em jogos, o "curador" é o papel mais importante. Uma vez, enquanto jogava com Yeonjun, ele disse que iria tomar conta de tudo e derrotar todos os inimigos. Eu disse a ele, "É por isso que o curador é o mais importante. Quem vai te ajudar se você morrer?" Mas Yeonjun insistiu que não precisava de mim, e que eu deveria me esconder atrás dele e apenas ficar ali. (risos) Então eu trouxe Soobin e perguntei, se todos nós lutássemos juntos, quem seria o mais importante. E Soobin disse, "com certeza é o curador." Exatamente o que eu disse. (risos)


Você acha que algum dos membros necessita de cura? (risos)

BG: Soobin hyung. Ontem ele me disse que estava com dor de estômago. Ele disse que vinha de comer muita comida com amido. Ele ama pão, você sabe. Ele comeu tanto que eu vi isso chegando. Há uma razão para o ditado "tudo com moderação." (risos) Estou brincando. Espero que ele melhore logo.


Falando em Yeonjun, há um movimento de dança em "Blue Hour" que vocês dois dançam juntos.

BG: Tem uma parte onde nós temos que olhar um para o outro, mas no começo eu não conseguia olhar para ele. Acho que era... embaraçoso? (risos) Então olhei para ele como um profissional e ficou tudo bem. Agora? Sem problemas! (risos)


Quando soube que "Ghosting" e "Wishlist" eram músicas rock com sons de guitarras pesadas, eu imaginei que fosse sua influência.

BG: Depois de escutar a versão demo de "Ghosting", eu fiquei encantado. Não podia acreditar que iríamos gravar esse tipo de música (risos). Eu realmente gosto do estilo dos anos 80 e 90. Eu ouvia as músicas dessa época o tempo todo com o meu pai.


Você escuta músicas como "Dancing Queen" do ABBA, ou "Vienna" do Billy Joel, certo? Mas "Vienna" é de 1977.

BG: Meu pai costumava correr com carros por diversão, e haviam algumas músicas que pude ouvir enquanto ele dirigia de manhã cedo. Mais tarde, quando eu estava em Seoul para treinar e sentia muita saudade dos meus pais, as músicas que costumávamos ouvir juntos vinham a minha cabeça. Eu procurei pelas músicas em sites de streaming e escutava elas enquanto lia todas as suas letras junto. As letras do ABBA, contudo, eu já sabia.


Parece justo dizer que você foi fortemente influenciado pelo gosto de seu pai.

BG: A razão pela qual eu toco guitarra/violão e escuto todas músicas pop e rock que escuto agora é tudo por causa do meu pai. Ele também é o motivo pelo qual me tornei um ídolo. Ele me disse para me tornar alguém que possa se destacar. Coincidentemente, hoje é o aniversário de casamento dos meus pais. Estou muito ocupado então não fui capaz de falar com eles ainda, mas quando isso acabar, eu tenho que ligar para o meu pai. (risos)


Você enfrenta alguma dificuldade quando está gravando ou treinando coreografia?

BG: Eu tenho essa maldição onde sempre fico resfriado ou com dor de garganta um dia antes de qualquer gravação. Antes da gravação minha voz está ótima e estou na nota, mas no dia real (da gravação) eu fico doente e minha voz começa a falhar. E realmente me incomoda quando não consigo ter o meu melhor desempenho. Fui muito duro comigo mesmo quando estava começando a aprender a coregrafia de "Blue Hour," também. Eu costumo ficar bravo comigo mesmo quando não performo bem. Mas eu melhorei nisso, então não estou preocupado.


Você parece ser bem severo consigo mesmo.

BG: Eu costumo chorar quando estou com raiva de mim mesmo ou quando não consigo aceitar algo, ao invés de ficar triste. Nos meus dias de trainee, uma vez, eu chorei durante as aulas de coreografia porque eu era lento que os outros para memorizar os passos. Mas olhando para trás, eu provavelmente estava sendo rígido demais comigo mesmo. Eu geralmente penso em mim mesmo como um espírito livre, mas de alguma forma estabeleci várias regras para eu mesmo seguir.


Uma vez você disse em outra entrevista que a maior mudança pela qual passou foi no aumento de sua determinação em entregar uma performance perfeita.

BG: Eu sou muito intenso quando se trata de se apresentar no palco. Antes de continuar, eu repasso os passos na minha cabeça, e preciso de silêncio enquanto me concentro. E quando cometo error, eu não apenas dou risada ou faço uma piada sobre isso; se houver algo errado, eu acho que é melhor falar sobre isso seriamente e continuar refazendo do que rir a respeito. Cada performance precisa ser perfeita.


Seus padrões parecem bem altos.

BG: Correto, e então eu fui o último trainee a entrar. A época em que dei meus maiores lances e saltos em auto aperfeiçoamento foi quando tive que ficar acordado todas as noites por quase um mês inteiro para a avaliação mensal. Eu ouvi que se você pratica a noite inteira, você tem mais progresso. Meu mantra se tornou, "Você é apenas o tanto que você pratica." Ouvi dizerem que Jimin foi o último a entrar no BTS, então ele praticou muito. E V praticou muito as poses e expressões faciais. Todo mundo nasce com talentos únicos, mas mesmo eles precisam ser trabalhados se você quiser extrair o melhor de si mesmo.


Ouvi dizer que você dormia por apenas 3 horas enquanto administrava o treino, a escola, e escrevia letras.

BG: Nestes dias, minha vida inteira era aulas de dança, aulas de canto, escrever músicas, ia para casa, tomava banho, ia para a escola, e então voltava às lições. Apenas repetindo isso de novo e de novo. Escrever músicas era o único modo de me expressar e gerenciar o estresse. Quando eu vivia em Daegu, eu teria caminhado pelas montanhas, mas Seoul é tão densamente repleta de edifícios que não há espaço para liberar sua tensão.


Tem alguma música que você escreveu recentemente para expressar como você está se sentindo?

BG: Eu estava olhando para o céu, um céu rosa. Era realmente bonito, assim como em "Blue Hour," e eu escrevi uma música assim que o vi. Eu gostei tanto daquele momento que escrevi a música com uma sensação confortável depois de um longo tempo.


No Weverse, você escreveu em seu diário sobre andar pela areia do pátio da escola durante seus dias de estudante. Me fez pensar que aparentemente, esses momentos triviais significam muito para você.

BG: Subir montanhas ao amanhecer e dirigir até um observatório para ver as estrelas com a minha família — esses são os tipos de memórias que estão profundamente gravadas no meu coração. Suponho que essas memórias nunca irão desaparecer, e eu certamente não quero que isso aconteça. Também tenho memórias felizes do ensino fundamental. Meus amigos e professores e todo mundo da minha escola eram todos boas pessoas que sempre me faziam sorrir. Mas de qualquer forma, a vida de ídolo me impede de ter uma experiência apropriada no ensino médio, então minhas memórias do fundamental são todas mais importantes para mim.


Como está se sentindo agora que está prestes a se formar no ensino médio?

BG: Estou ansioso por não ter que acordar de manhã. (risos) Quando os membros mais velhos estão de folga, eles geralmente acordam por volta do meio-dia ou uma da tarde, mas os membros mais novos e eu precisamos ir para a escola, então temos que acordar às sete da manhã. Leva duas horas para ir e voltar da escola.


O que você faz durante esse tempo, geralmente?

BG: Durmo, na maioria das vezes. (risos) Uma vez que o aquecedor do assento está ligado, eu durmo. Eu ligo ele mesmo durante o verão. Se minha mente está corrida/agitada, então eu coloco os fones de ouvido e escuto música.


Que tipo de música você geralmente escuta?

BG: Meu novo passatempo é procurar por música nova, então ultimamente tenho escutado alguns artistas internacionais. De artistas coreanos, eu acho as músicas da banda ADOY bem legais. Eu costumo ouvir músicas fortes/sombrias, gosto da sensação e atmosfera única de suas músicas.


Como você escreve músicas?

BG: Para começar, eu componho uma melodia simples e escrevo nas linhas do violão. Depois disso, as vozes dos outros membros chegam e nosso produtor Slow Rabbit mistura tudo com perfeição. Frequentemente, eu converso com o produtor sobre onde alguma coisa que eu acho que pode soar bom ou sobre ideias que tive. Na verdade, quando estávamos decidindo algumas músicas para a b-side do "Blue Hour," duas músicas minhas foram consideradas. Elas não combinavam muito com a atmosfera geral do álbum, então ficaram de fora do álbum.


É uma pena. Seria legal se tivessem sido incluídas.

BG: Bem, sempre tem uma próxima vez. Cada álbum possui sua própria direção. Se minhas músicas se encaixarem com essa direção, então irão usar as minhas, e vão usar as músicas dos outros membros se as deles se encaixarem melhor. Nosso produtor até disse que minhas músicas não seriam incluídas neste álbum mas se elas se encaixassem no próximo então elas seriam colocadas nele. Eu disse, "legal." É assim que acontece. Todo mundo deveria apenas ir com calma. (risos)


Você produziu a música "Maze in the Mirror" do "The Dream Chapter: ETERNITY," que tem tudo a ver com a sua experiência antes da sua estreia.

BG: Correto, e inicialmente o título da música era apenas "Maze". Eu a escrevi quando estava em uma queda muito, muito profunda. A melodia original era diferente da versão final. Depois de escrever as linhas do violão, eu fui até a sala dos produtores e nós trocamos algumas ideias. Ele gostou muito da música e sugeriu que mostrasse aos outros membros. Eu precisava ir para a escola e normalmente levo uns 3 minutos da empresa até o dormitório, mas eu levei uns 30 minutos andando e escutando a música repetidamente. Era reconfortante de escutar. Então dei aos membros os detalhes: qual era o título, como eu o escolhi, o que eu estava sentindo e pensando quando escrevi, que tipo de letras eu precisava que eles acrescentassem, etc. Mais tarde, todos contribuíram com suas próprias letras e as melhores foram combinadas para criar "Maze in the Mirror."


Yeonjun disse que toda vez que escuta essa música, ele é levado às lágrimas.

BG: Se eu não fosse capaz de lançar aquela música e então voltasse para Daegu e a escutasse, talvez eu choraria também. Mas eu prevaleci, e agora posso dizer que lancei uma música sobre os tempos difíceis que passei para estar onde estou agora. Não estou apenas orgulhoso dessa música mas também de tudo que veio junto.


A série "The Dream Chapter" é sobre crescimento. As músicas expressam a dificuldade da adolescência, a fuga das amizades e seus conflitos. O que essas histórias significam para você, Beomgyu?

BG: Na verdade, eu nunca tive nenhum problema com meus amigos. Mas existem momentos quando até as pessoas positivas se sentem sensíveis ou oprimidas por seus pensamentos. Como mencionei antes, acontece comigo quando estou prestes a subir no palco. E quando estou deprimido, é como diz a letra de "Run Away": "Todos no mundo parecem estar felizes, menos eu." Eu me identifico bastante com essas letras.


Você interpretou o personagem principal, o "deixado de lado", no videoclipe japonês de "Drama."

BG: No começo, o enredo parecia ser sobre amigos, mas na verdade é sobre ser um pária/exilado. A história destaca a diferença entre a forma que você se enxerga e como os outros te enxergam. Eu tentei expressar o quão angustiado me sentiria se aquilo fosse comigo. Para eu chegar a este sentimento, os outros membros ajudaram me provocando com a bola de basquete, que nós usamos como adereço, dizendo coisas como, "Apostou que você quer jogar, também." (rindo) Eles me apoiaram criando uma atmosfera que me deixasse explorar meu senso de empatia.


Você parece ser bem próximo dos outros.

BG: Eles são tudo pra mim, agora. Cada dia que estamos juntos é diferente, e nós somos bons em manter o outro de bom humor.


O que vocês conversam quando estão se preparando para o álbum?

BG: Nós conversamos sobre nossas intenções. Dizemos coisas como, "Vamos fingir que estamos apenas fazendo a nossa estreia e lançando nosso primeiro álbum." Costuma ser assim, quando um de nós está pensando em alguma coisa, a pessoa pode ter dificuldade em falar porque está preocupada que a opinião do restante do grupo seja diferente. Mas nós percebemos que o melhor é se abrir com o outro e dar a todos a chance de falar.


Você não parece ser o tipo de pessoa que se abre primeiro.

BG: Quando estava escrevendo "Maze in the Mirror," Soobin veio até mim primeiro no estúdio. Me lembro que ele estava passando por muitas coisas também, como eu. Ele estava escrevendo letras e sugeriu que escrevêssemos as letras juntos, nos revezando. Foi assim que nossa conversa começou e então nós acabamos falando sobre alguns de nossos problemas. Isso me deu muito conforto. Não sou muito bom e trazer tópicos difíceis, então quado alguém me conhece mesmo e começa a conversa, eu fico muito grato. Felizmente Soobin hyung sempre aparece quando eu preciso desse tipo de amigo. (risos)


Beomgyu, que tipo de pessoa que você quer ser?

BG: (pensando profundamente) Uma pessoa calorosa. Meu lema ao longo da vida é "viva positivamente." Mas conforme eu vou passando pela minha agenda diária e passo um tempo junto com os outros membros, as vezes vejo um lado meu muito jovem que eu não sabia que estava ali. Gostaria de ser mais maduro e me tornar o tipo de pessoa que é calorosa/afetuosa com os outros ao meu redor.




Entrevista original: Weverse Magazine

TRAD ENG-PT/BR: Abby (TXT Brazil)

198 visualizações0 comentário